sound byJbgmusic

Últimas Notícias

Edgard Armond sugere que no resgate das desarmonias Kármicas, há quatro etapas a considerar: Conhecimento da desarmonia produzida, ou seja, da divida, e esta para ser paga, é preciso que o devedor saiba o valor dela; Aquiescência em resgatá-la, pois toda criatura  anseia pela paz, pela harmonia, pela felicidade; Valor da desarmonia, assim todas as desarmonias em que a humanidade se debate, constituem sofrimento passivo, através do qual elas tomam conhecimento do processo kármico e das dívidas a resgatar durante a existência; e finalmente o ressarcimento, e este se entende pelo pagamento da dívida. Só existe uma moeda, no Universo para o pagamento de qualquer dívida: O Amor.

Neste nosso plano onde o amor pleno manifestado pelo Cristo é uma utopia aos seres humanos. Assim, o que existe  entre nós são   expressão de amor,  representando um fio de contato com Deus. São exemplos de expressões de AMOR: a solidariedade; a paz; a fé; a serenidade; a humildade; o ouvir o próximo; o acalmar; o perseverar; e estas são as características dos grandes missionários da humanidade, portanto ser missionário é estar na ultima fase do resgate kármico, na área onde causou a desarmonia.

O conceito de  missionário   como sendo o espírito,  sem nada dever à humanidade e mais nada  tem a aprender neste mundo, e desta forma, nascer   com um encargo, uma tarefa em especial, para ajudar o progresso, não é verdadeiro. Assim, missionários são pessoas que recebem  missões em uma área de atividade na Terra, mas em outras estão  ainda sujeitos a provas e expiações. Lembramos a figura impar de Chico Xavier, missionário da mediunidade, mesmo assim, expiou na área da saúde, sendo quase cego, bem como as provas suportadas devido as incompreensões humanas, relacionado a sua vida privada.    A mediunidade como faculdade do ser humano, também esta sujeita à  lei kármica, assim  ela pode ser uma prova , uma expiação ou missão. No caso de ser uma prova ou uma missão, o espirito tem o livre arbítrio para o seu exercício, mas na mediunidade de expiação, existe uma cobrança da lei, tanto mais rigorosa, quanto for o desajuste causado. No nosso meio Espirita criou – se a crença de que a mediunidade é dor, sofrimentos e desajustes, isto devido principalmente a algumas leituras complementares como o Livro “ Os Mensageiros” de Andre Luiz , Chico Xavier.

Para reforçamos os conceitos, entendemos que a mediunidade pode ser: Natural, que é patrimônio do espirito, inerente ao seu progresso realizado, assim como alguns conquistaram o talento da inteligência, por exemplo; prova é concedida aos espirito como oportunidade de trabalho, ajudando – o assim a sua evolução, mas este não é um espirito devedor para com a lei , no que tange à mediunidade; tarefeiros ou missionários são aqueles que devido as suas experiências anteriores, promovem no meio, onde são chamados a atuar, mudanças de paradigmas, passando a serem exemplos neste setor; expiação, apresentam a sensibilidade muito apurada, necessitam a atividade mediúnicas como fator de equilíbrio para sua vida espiritual, psíquica e material, desta forma, quando recusam a atividade mediúnica com Jesus, vão fazer parte dos incontáveis doentes mentais, apresentando inúmeras síndromes, que vão desde hipocondria até o total desiquilíbrio mental.

Ressaltamos que muitas doenças mentais como a esquizofrenia,por exemplo, o desequilíbrio não se encontra no campo da mediunidade, mas sim, são inerentes a própria alma culpada e a alterações neuroquímicas.

Para o terceiro milênio ressaltamos que mediunidade vai adquirir manifestações mais próximas a Natural, pois o planeta está passando de mundo de provas e expiação, a mundo de regeneração, portanto as provas e expiações não existirão mais, é o que os espíritos têm chamado na atualidade, de Mediunidade de Parceria.

Recentemente confrades ficaram magoados, pois um médium muito conhecido declarou que a Aliança Espirita Evangélica não é Espiritismo.

Mas devemos concordar com o mesmo, pois devemos separar movimento Espírita, de Doutrina Espirita, desta forma os Movimentos Médicos Espíritas, de Magistrados, de Federações e centenas de outros movimentos Nacionais e internacionais são divulgadores do Espiritismo, em um dos inúmeros setores que este contribui para uma sociedade melhor, assim, a Aliança Evangélica tem seu foco para o aspecto da reforma moral, as Associações Medicas Espírita para o aspecto cientifico da doutrina. 

Dentre as inúmeras definições, O codificador Allan Kardec apresentou o Espiritismo como ciência: “O Espiritismo é a ciência nova que vem revelar aos homens, por meio de provas irrecusáveis, a existência e a natureza do mundo espiritual e as suas relações com o mundo corpóreo”, mas hoje entendemos sem maiores discussões o aspecto trino da doutrina, de ciência, filosofia e religião.

Os amigos espirituais, por inúmeros médiuns, vêm constantemente chamando à atenção dos espíritas e dos movimentos, que desejam ser o próprio espiritismo. 

Vejamos alguns dos inúmeros alertas:

“Doa a quem doer, mas hoje temos que admitir: existe um “Espiritismo dos homens” e existe um Espiritismo do Cristo. E nem sempre eles se encontram na mesma direção”! Maria Modesto Cravo.

“Já tive a oportunidade de dizer mais de uma vez, que o Espiritismo veio para o povo, para com o povo dialogar. Eu não disse que ele veio para o povo, para que o povo possa pagar!” Chico Xavier.

Amigos, os ensinos do Codificador e de Jesus são nossos parâmetros, pois, como nos ensina Edgard Armond, estes devem ser as nossas âncoras nos dias turbulentos.

 “Reconhece-se o verdadeiro Espírita. pela sua transformação moral, e pelos esforços que faz para, domar suas más inclinações” ensina Allan Kardec, portanto, se a transformação moral está difícil, vamos pelo menos fazer o esforço.

Concluindo, lembramos o jovem Dr. Ildefonso do Espírito Santo, que é referência do movimento espírita Baiano, no livro Repensando o Movimento Espírita no Brasil, ele ensina: “O Movimento Espírita, em razão de sua missão, tem um compromisso com a própria comunidade Espírita e com a sociedade em geral. As profundas transformações ocorridas no mundo nos últimos tempos em curso estão exigindo de todos os movimentos uma constante avaliação dos caminhos, objetivos e resultados, para efeito de suas adequações e estratégias e métodos”.

Pedro Francisco Santos Neto

 

Livros consultados: Repensando o movimento Espirita no Brasil de Idelfonso do Espírito Santo, O que é O Espiritismo , Allan Kardec , Evangelho Segundo o Espiritismo, de Allan Kardec, Seareiro de Volta, de Rogerio H. Leite, Mereça ser Feliz, de Wanderley de Oliveira.

 

O significado de síndrome é conjunto de sinais e sintomas observáveis em vários processos patológicos diferentes e sem causa específica, ou seja, uma síndrome pode ser varias doenças, que apresentam os mesmos sinais e sintomas.

O que é fé?  A Fé é uma faculdade da alma, do espírito, e cabe-nos desenvolvê-la em nós mesmos, portanto uma virtude a ser cultivada, como outras virtudes.  “Ter fé, diz Emmanuel no Livro O Consolador, é guardar no coração a luminosa certeza em Deus, certeza que ultrapassou o âmbito da crença religiosa, fazendo o coração repousar numa energia constante de realização divina da personalidade. Conseguir a fé é alcançar a possibilidade de não mais dizer eu creio, mas afirmar eu sei, com todos os valores da razão, tocados pela luz do sentimento.” 

A fé, preconizada pelo Espiritismo, não é uma fé contemplativa, mas sim, dinâmica, edificada vagarosamente pelo Espírito, à medida que evolui, mas grande parte das pessoas admite que a fé, seja doada a alguns espíritos privilegiados pelo favor divino, sendo que no meio Espírita canalizamos a fé, atribuindo aos espíritos superiores o amparo a nossas tarefas ,assim como os nossos irmãos evangélicos colocam toda a sua fé , mesmo as coisas mais corriqueiras da vida, ao amparo divino devido sua crença a alguns dogmas preconizados pelo seu pastor. 

Lembramos que a fé verdadeira é avalizada pela humildade, a qual é o mais nobre das virtudes, ou seja, a pedra mais preciosa da coroa das virtudes dos espíritos elevados. Sem humildade a fé, torna-se fanatismo. 

A advertência de Jesus cala fundo em nossas consciências, quando diz: “homens de pouca fé”-Mt 8:26 ou em outros momentos onde declarava,“que eles nem fé tinham ainda” Mc 4:40.

Hoje como no passado, observamos em nosso meio à mesma discussão que ocorria entre os discípulos de Mestre: “quem é o maior”, chamando-os Jesus a humildade, quando orientava, que o maior “seria o servidor de todos”.

Nos tempos atuais, época de transição, torna-se muito claro os sintomas e sinais da síndrome do esfriamento da fé, nos vários setores da doutrina Espirita, sendo alguns relacionados abaixo:

Médiuns que se arrogam no direito de usufruir os benefícios da fama obtida pela mediunidade.

Dirigentes que disputam cargos, se arrogando serem os melhores preparados para as tarefas, não oferecendo oportunidades aos mais novos.

Trabalhadores da casa espirita e não da causa, que não aceitam o que de bom existe em outros grupos ou movimentos.                               

Preocupação exageradas com os espíritos trevosos, acreditando que são tão importantes, que estes espíritos perdem tempo para persegui-los.

Reforma intima de superfície criando mascaras de “bom espiritas”.

Permissividade a vícios materiais como o álcool, antidistônicos e o fumo, alegando que alguns médiuns famosos bebem e fumam, esquecendo que o mesmo tem suas lutas internas e também necessitam de reforma intima para vencer os seus vícios e defeitos, como qualquer um de nós.

Desejo precoce de pregarem a doutrina, sem estudo profundo dos temas, ficando apenas na superfície, formando assim palanques a vaidade.

Dificuldades de relacionamento entre os trabalhadores, criando campo fértil aos melindres.

“E muitos outros, sinais e sintomas, facilmente observáveis no cotidiano dos centros espirita, mas como diz o ditado: Fé não se prescreve, mas creio ser oportuno lembrar o apostolo Tiago a respeito da fé:” Meus irmãos, que aproveita se alguém disser que tem fé, e não tiver as obras? Porventura a fé pode salvá-lo?

E, se o irmão ou a irmã estiverem nus, e tiverem falta de mantimento quotidiano,

E algum de vós lhes disser: Ide em paz, aquentai-vos, e fartai-vos; e não lhes derdes as coisas necessárias para o corpo, que proveito virá daí?

Assim também a fé, se não tiver as obras, é morta em si mesma.

Mas dirá alguém: Tu tens a fé, e eu tenho as obras; mostra-me a tua fé sem as tuas obras, e eu te mostrarei a minha fé pelas minhas obras”. 

Tiago 2:14-22

Pedro Francisco Santos Neto.

Petrolina, 28-04-2013.